PREÇOS ESPECIAIS PARA CIRCULOS, GRUPOS E REVENDAS.
COMPRE AGORA EM ATÉ 3 VEZES SEM JUROS NO BOLETO OU NO CARTÃO
Pesquisa personalizada

quinta-feira, 23 de julho de 2009

TRATAMENTO NATURAL PARA ORQUÍDEAS



TORTA DE NEEM



Após o esmagamento das sementes e separação do óleo, sobra o bagaço, que adicionado à polpa das frutas, são triturados e secados, resultando um subproduto chamado TORTA DE NEEM, que possui as mesmas propriedades do óleo.


No cultivo de orquídeas é recomendado o uso da TORTA DE NEEM misturado ao substrato na proporção de 1 colher de café por vaso de 3 litros, age contra insetos e fungos, impedindo sua proliferação e também é rica em substâncias importantes para planta como:


Nitrogênio.................................. 6,40%
Fósforo....................................... 1,50 %
Potássio......................................3,20 %
Cálcio .........................................2,70 %
Magnésio ....................................4,40 %






Complementares: enxofre cobre, Manganês, zinco, ferro e cobalto.As aplicações devem ser feitas quinzenalmente.


FORTNEEM


















EXTRATO VEGETAL ORGÂNICO PARA CONTROLE PRAGAS E INSETOS.




Apresentação:


Emulsão de Óleo de Neem pronto para ser utilizado, basta adicionar água.




No cultivo de orquídeas, o óleo deve ser pulverizado nas plantas para combater infestações de pragas, como: cochonilhas, moscas branca, caramujos, lagartas, fungos e bactérias.


A medida ideal é 7 ml por litro de água filtrada.


Com pulverizações quinzenais é possível um efeito repelente pela ação sistêmica do produto.




Obs: Dependendo do problema no cultivo podemos adcionar na formulação do FORTNEEM outros componentes para combater pragas especificas;


EXEMPLO: losna para lesmas e caramujos, própolis com bactericida, etc...






BIOFORT



Fertilizante orgânico mineral concentrado, produzido a base de resíduos frescos de peixes, que passaram por processo de moagem e fermentação enzimática natural, resultando em nutrientes e aminoácidos livres, totalmente solúvel em água e facilmente absorvido pelo solo e plantas, através das folhas, caule e raízes.
Ativa o metabolismo geral do solo e da planta, melhorando a fotossíntese e outros processos fisiológicos vitais.
Ajuda na formação de quelatos com nutrientes, melhorando sua absorção e proporcionando uma nutrição mais equilibrada à planta; Aumenta a reserva de carboidratos, dando mais vigor às brotações, melhora o pegamento de flores e diminui o abortamento das mesmas; Ajuda a planta resistir ao ataque de pragas e doenças eliminando o stress.


Os principais benefícios do BIOFORT:
- Melhora desenvolvimento do sistema radicular;
- Facilita a absorção de água e nutrientes, melhora o desenvolvimento da raiz;
- Desbloqueia de nutrientes devido ao poder quelantizante dos aminoácidos;
- Melhora e recupera a planta em situações de estresse (hídrico, térmico, fitotoxidades, etc.);
- Melhora a síntese de clorofila. Observando-se as folhas mais verdes e favorecendo o processo da fotossíntese;
- Provoca atraso na perda de flores;
- Aumenta a atividade de enzimas e coenzimas;
- Melhora a intensidade de florescimento e brotação;
- Aumenta a tolerância das plantas ao stress hídrico e a baixas temperaturas;
- Melhora o equilíbrio nutricional das plantas;
- Com um metabolismo mais equilibrado, estimula-se a proteossíntese, aumentando a resistência natural das plantas, reduzindo a incidência de pragas e doenças (teoria da Trofobiose-Chaboussou);
- Não é tóxico, portanto não causa dano às plantas, ao homem e ao meio ambiente;
- Melhor qualidade e produtividade.


O uso do BIO BOKASHI é uma técnica muito antiga no Japão, trazida e adaptada ao Brasil no final da década de 80 por imigrantes japoneses.


Trata-se de uma mistura balanceada de matérias orgânicas de origem vegetal e/ou animal, submetidas a um processo de fermentação controlada.
A fermentação ocorrente é predominantemente láctica, porém, ocorrem simultaneamente em pequenas proporções a acética, alcoólica, propiônica e butírica.
Entretanto, a ação mais importante do BOKASHI é fornecer ao solo, microrganismos que desencadeiam um processo de fermentação na biomassa disponível, proporcionando rapidamente condições favoráveis à multiplicação e atuação da microbiota benéfica como fungos, bactérias, actinomicetos, micorrizas e fixadores de N, atores ativos do ativos do processo da nutrição vegetal equilibrada e da construção da sanidade vegetal.


Por ser um produto líquido a sua ação é mais eficaz e garante uma nutrição que favorece todos os processos químicos que a planta precisa para seu melhor desenvolvimento.

MODO DE USO DOS PRODUTOS:


FORTNEEM.............................7ml por litro quinzenal.


BIOFORT ................................4ml por litro quinzenal.


BOKASHI ................................5ml por litro mensalmente.
TORTA DE NEEM.................. 1 colher de café por vaso de 3 litros a cada 3 meses.


Atenção:

Os produtos podem ser usados alternadamente da seguinte forma:Usar o FORTNEEM primeiro, 7 dias depois usar o BOKASHI, mais 7 dias usar o BIOFORT. A partir daí para cada 2 aplicações quinzenais do BIOFORT usar uma de FORTNEEM, e o BOKASHI mensalmente no intervalo das aplicações dos outros produtos. È recomendado 5ml por litro de água pulverizado foliarmente e no substrato.


Resumo: Usando esses produtos associados é possível obter uma planta mais saudável e protegida contra pragas e doenças.


Distribuidor exclusivo: FORTALEZA AGROPECUÁRIA




Marcos Castilho
Responsável Técnico
(17) 99175 7629 Claro
(17) 99738 5502 Vivo
Skype: marcosjc1964







sábado, 16 de maio de 2009


Preços e condições especiais para revendas, associações e círculos orquidófilos.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

UM POUCO DE BOTÂNICA

As orquideas não brilham pelas suas folhas, algumas nem folhas têm. A grande maioria dispõe de um "pseudo bolbo".

Este último é particularmente visível nas Cymbidium e as Odontoglossum. Pseudo porque não é um verdadeiro bolbo, como nas tulipas, mas simplesmente a base das folhas.








Esse “inchaço” permite reservar “alimento” e água, o que permite à planta sobreviver alongos períodos de seca.Essa simples observação permite concluir que as plantas que não disponham desse pseudo bolbo não conseguem sobreviver longos períodos sem rega. E portanto uma rega regular é importante a sua boa saúde.

As raízes saem dos vasos

As raízes das orquídeas podem perturbar um amante de plantas. Com umas formas que mais fazem lembrar algum aracnídeo e de uma cor esverdeada quando geralmente as raízes das plantas são brancas (sem cor), e com a mania de saírem do vasos!

Não podemos esquecer que as orquídeas são na grande maioria epifitas, vivem nas árvores.

Os europeus, é que temos a mania de colocar todas as plantas em vasos. Até por ser mais prático na sua venda.

É portanto natural que as raízes saem dos vasos, para realizarem a sua função principal. Captarem e armazenarem a água através da humidade do ar.
É até muito bom sinal quando vemos a nossa orquídea desenvolver raízes fora do vasos, indica que se encontra de boa saúde.

A CULTURA DAS ORQUÍDEAS

As orquídeas representam a família mais vasta do mundo vegetal e a mais rica. Existem mais de 30000 espécies conhecidas e todos os anos novas descobertas são recenseadas. 


As maiorias das orquídeas estão concentradas nas florestas tropicais húmidas entre 1000 e 3000m de altitude. Mas o seu habitat estende-se igualmente as baixas planícies, florestas e montanhas. Tanto as podemos encontrar nas regiões meridionais da América do sul, de África, Austrália e Nova Zelândia que até nas zonas mais a norte, perto do circulo polar. 

Muitas são terrestres, outras epifitas (vivem sobre outra planta, 
mas não parasitas) outras ainda litófitas(desenvolvem-se sobre uma superficie rochosa).









Durante os anos 70, as orquídeas eram consideradas plantas extremamente raras e caras, cultivadas por um punhado de especialistas e reservadas a pessoas com um poder económico muito alto. 

Existem mesmo pessoas que afirmam, que nessa altura, cultivadores destruíam sistematicamente os locais onde encontravam as orquídeas na natureza para se reservar o direito de exclusividade sobre uma determinada flor.

Hoje as planta são encontradas "facilmente" (na sua maioria) e isso graças a descoberta do Prof Morel. Que com a sua equipe encontraram um método de multiplicação "meristem"

Conseguiu retirar uma porção do caule de uma orquidea, dividir em pequenos "pacotes" de células e colocar as mesmas em cultura num laboratório  (TC). Obtendo assim clones idênticos à orquidea onde foram retiradas as células. Muitos orquidicultores seguiram esses passo, adoptando essa técnica. Massificando assim a cultura de orquideas.





segunda-feira, 20 de abril de 2009

A LENDA DA ORQUIDEA

Como as flores, a orquídea tem uma lenda. Eis a encantadora história, como é contada nas terras da Indochina.

Na cidade de Anam, existia uma jovem chamada Hoan-Lan, que divertia-se em fazer penar suas paixões aos seus numerosos adoradores.

Por um sorriso, o jovem Kien-Fu tinha cinzelado o ouro mais fino e trabalhado com infinita paciência as mais lindas peças de jade.

A ingrata, após se adornar com todos os presentes do nobre apaixonado, riu-se dele e o desprezou. Kien-Fu, desesperado, acabou com a própria vida atirando-se ao Rio Vermelho.

O pintor Nguyen-Ba conseguiu obter cores desconhecidas para pintar o retrato de sua amada. Esta, porém, depois de ter exibido para a satisfação de sua vaidade a magnífica pintura, desprezou o artista que desapareceu para sempre no mistério das selvas.

Mai-Da, apaixonado também, quis patentear seu amor à jovem volúvel, inventando um perfume delicioso somente digno dos anjos.

A ingrata perfumou-se e mandou pôr na rua o seu adorador que, nada mais aspirando na vida, se envenenou. Cung-Le levou sua perseverança a incrustar nácar numa pulseira de ébano que foi recebida pela ingrata.

O pobre endoideceu. Mas o poderoso Deus das Cinco Flechas, que a tudo via e tudo ordenava, julgou que era o momento de castigar tanta maldade, fazendo a jovem volúvel apaixonar-se pelo formoso Mun-Cay.

E desde então, Hoan-Lan sonhava no seu leito de nácar e sedas bordadaas com seu adorado, cujo nome esvoaçava sobre seus lábios de carmim, como uma borboleta sobre a rosa.

Ao despertar, descia à piscina, banhava-se e adornava-se com suas jóias mais preciosas para ver passar seu querido Mun-Cay, que apenas se dignava a levantar os olhos para ela.

Nunca tinha considerado a formosa jovem, nem se interessado pela fama de beleza que tinha ardido à sua volta. Os dias iam passando, e Mun-Cay não saía de sua indiferença cruel.

Um dia, Hoan-Lan decidiu sair-lhe ao encontro e declarar-lhe paixão. Não me interessas, rapariga ! - disse ele. - És como todas as outras.

Para mim não vales nada. Se fosses como aquela que eu amo... Esta sim, é uma deusa. Tu, mísera Hoan-Lan, com toda tua vaidade, não serves nem para atar-lhe as fitas das sandálias.

E, com um sorriso desdenhoso, afastou-se. Em meio de seu desespero, Hoan-Lan lembrou-se do Deus Todo Poderoso que vivia na montanha de Tan-Vien. Talvez ele pudesse lhe valer.

Apesar da noite escura e chuvosa, a jovem dirigiu-se ao monte sagrado, onde residia sua última esperança. A entrada do templo subterrâneo era guardada por um terrível dragão.

Suplicou-lhe a concessão de entrada e ao cabo de muitos pedidos conseguiu penetrar num extenso corredor, por entre serpentes horríveis que lhe babujavam os pés nus.

Quando chegou junto ao trono de ônix do poderoso gênio, prostrou-se e implorou: Cura-me, que sofro horrorosamente. Amo Mun-Cay que me despreza.

É justo o castigo - respondeu o deus - Porque isso mesmo tens feito aos teus apaixonados.Ó Todo Poderoso, tem dó de mim. Concede-me o amor de meu querido Mun-Cay. Sabes bem que não posso viver sem ele.Vai-te daqui - rugiu o gênio - Nada conseguirás. O castigo que pesa sobre ti, foi imposto pelo Deus das Cinco Flechas, que tudo sabe.

É justo que sofras. Saia do meu templo. Á saída, Hoan-Lan encontrou-se com uma bruxa de pés de cabra. Formosa jovem - disse-lhe a bruxa - sei que és muito desgraçada. Queres vingar-se de Mun-Cay? Vende-me a tua alma e juro-te que, embora Mun-Cay não te ame, não amará a outra mulher.

Hoan-Lan, voltou à sua casa, que lhe parecia um cárcere. Saía para os bosques a distrair sua pena, mas sempre em vão. Um dia, vendo ao longe seu adorado Mun-Cay, correu para ele e, quando se preparava para abraçá-lo, o jovem foi transformado numa árvore de ébano.

Neste momento apareceu a bruxa que, soltando uma gargalhada, lhe disse: -Desta maneira o teu amado não pode ser nunca de outra mulher. Bruxa infame, exclamou chorando, a pobre Hoan-Lan - o que fizeste a meu adorado ?

Devolva-me ou mate-me. Contratos são contratos - replicou a bruxa, rindo satanicamente. Cumpri o que prometi. Mun-Cay, embora nunca te ame, não amará a outra mulher. Prometi e cumpri. A tua alma me pertence. Hoan-Lan, abraçada ao pé da árvore, clamava desesperadamente a seu tronco imóvel. Perdoa-me, Mun-Cay. Tem para mim uma só palavra de amor, de indulgência e compaixão. Não vês como me arrasto aos seus pés, como te abraço, como sofro!

Mas a árvore nada respondia. A jovem ali ficou por muito tempo. Uma manhã passou por ali um gênio que se compadeceu da sua dor.

Acercando-se dela, pôs-lhe um dedo na testa e disse: Mulher, procedeste muito mal. Foste volúvel até a crueldade e ingrata até a malvadez. Procedeste muito mal. Mas tua dor purificou a tua alma. Estás perdoada e vais deixar de sofrer.

Antes que a bruxa venha buscar a tua alma, vou transformar-te numa flor. Ficarás sendo, no entanto, uma flor esquisita e requintada, que dê a impressão do que foi a tua vida maldosa.

Quem vir as tuas pétalas facilmente adivinhará o que foi o teu espírito, caprichoso, volúvel, cruel, e a tua preocupação constante pela elegância. Concedo-te um bem: não te separarás do bem que adoras e viverás da sua seiva, sempre parasita do teu amado.

Assim falou o poderoso gênio. E, quando falava, a túnica rósea de Hoan-Lan ia empalidecendo e tornando-se de uma delicada cor lilás. Os olhos da jovem brilharam como pontos de ouro e as suas carnes tomaram a tonalidade do nácar.

Os seus formosos braços enrolaram-se na árvore na derradeira súplica. E assim apareceu a primeira orquídea do mundo, segundo a lenda do Anam. (Muitas pessoas acreditem erroneamente que as orquídeas são parasitas, no entanto elas apenas usam o hospedeiro para fixar suas raízes).

ENTENDA MAIS SOBRE NPK

Por Nonato Moura

Os adubos NPK podem ser comprados em diferentes fórmulas ou até mesmo se mandar preparar uma fórmula em que sobressaia o elemento que desejamos e até enriquecidos com micro-nutrientes.

É a fórmula do produto que dever receber bastante atenção na hora da compra, expressando ela a quantidade percentual de nutrientes. Encontramos NPK sobre as formas líquidas e sólidas. Os fertilizantes líquidos ainda costumam ser diluídos em água para uso em pulverizações nas folhas ou para o enriquecimento da água das regas.

Nitrogênio = N = É o principal agente do crescimento das plantas e do desenvolvimento foliáceo. A maior parte do nitrogênio a planta absorve nas primeiras fases da sua vida e deixa armazenado em seus tecidos de crescimento. A falta desse elemento nessa fase inicial retarda o crescimento e conseqüentemente a produção. Podemos, no geral, perceber que a falta de nitrogênio deixa a folha com a cor verde pálida ou verde amarelada enquanto o excesso produz abundante folhagem de coloração verde- escura.

Phósforo(Fósforo) =P = Sua presença é indispensável para a planta transformar os hidratos de carbono em açúcares. O Fósforo participa ativamente do processo de divisão das células. É um dos agentes direto da formação da clorofila e ainda aumenta o desenvolvimento radicular propiciando à planta maior capacidade de absorver os elementos férteis do solo. Age diretamente na qualidade dos frutos e maturação das sementes e a deficiência desse elemento pode ser percebida quando as folhas tomam uma coloração arroxeada.

Potássio – símbolo K - Indispensável à produção dos amidos e açúcares, e para a respiração e desenvolvimento das raízes. Sem ele a planta não se desenvolve. Fica ali atrofiada.
O Potássio é absorvido pela planta em menor quantidade e fica acumulado nas folhas e nos talos mais que nos frutos.

No inicio desta matéria eu falei: Os adubos NPK podem ser comprados em diferentes fórmulas ou até mesmo se mandar preparar uma fórmula em que sobressaia o elemento que desejamos e até enriquecidos com micro-nutrientes. Pois é ai que entra a classificação dos fertilizantes: Fertilizantes nitrogenados, fertilizantes potássicos e fertilizantes fosfatados. Já sabemos que o(N) Nitrogênio, (P)Fósforo e (K) potássio são os 3 elementos mais exigidos por qualquer planta.

Quando em uma fórmula o elemento em maior quantidade é o Nitrogênio, falamos que esse fertilizante é nitrogenado e é recomendado para estimular a brotação e o enfolhamento. São ótimos para as folhagens em geral, gramados. A fórmula será expressa em porcentagem e assim quando expressamos: A Uréia tem 45% de Nitrogênio, estamos falando que de cada 100 quilos de Uréia, 45 são de Nitrogênio.

Quando o elemento de maior quantidade é o Fósforo ou phósforo, falamos que é um fertilizante fosfatado e que este estimula o surgimento de raízes, o aumento das floradas e, conseqüentemente da frutificação e produção de sementes. A aplicação de adubos fosfatados é muito importante em regiões onde ocorre geadas pois ele vai aumentar a resistência das plantas ao frio e alem disso vai apressar a maturação dos frutos.

Quando o elemento dominante é o Potássio (K) vai contribuir na formação de tubérculos, rizomas, fortalecer os tecidos vegetais e aumentar a resistência contra a seca. Por dar maior consistência à planta vai tornar a mesma mais resistente contra pragas e doenças.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

LESMAS E CARACÓIS

Vaginula sp. e Veronicella sp. São lesmas que possuem hábito noturno, abrigando-se durante o dia em lugares escuros e úmidos, onde depositam massas de ovos translúcidos, cuja coloração varia do creme ao amarelo-brilhante.
Bradybaena similaris. Um dos caracóis mais encontrados em orquídeas, caracteriza-se pela presença de uma concha calcárea de 10,0 a 15,0 mm de diâmetro, de coloração pardo-clara ou amarelada. Quando importunados, os caramujos recolhem o corpo dentro da concha, permanecendo imóveis.

As lesmas e caracóis são prejudiciais principalmente às orquídeas quando atacam plântulas. Podem causar grandes estragos destruindo brotos novos, botões e flores, além de raízes.
Para combater e repelir essa praga FORTNEEM LÓSNA

terça-feira, 4 de novembro de 2008

FORTNEEM COM PRÓPOLIS


Em épocas chuvosas e alta umidade relativa do ar, deparamo-nos com um problema comum a quem cultiva orquídeas. É quando algumas de nossas orquídeas começam a apresentar manchas cinzas nas folhas, parecidas com um mofo, que começa a melar onde ataca, e nas flores, pintalgando-as com manchas de cor cinza escuro. Essa doença fúngica é chamada de Botrytis, também conhecida como podridão Botrytis ou mofo cinza, causada pelo fungo Botrytis cinerea, que desenvolve-se com extrema rapidez em ambientes úmidos e fraca ventilação. Isso deve-se ao fato de ser um microorganismo que produz esporões no seu ciclo reprodutivo, que é levado por nós mesmos; respingos de água ou vento úmido para plantas vizinhas.


Em orquidários encontramos as condições perfeitas para desenvolverem-se, e se não transferirmos a tempo as plantas floridas e aquelas mais vulneráveis, como as Phalaenopsis por exemplo, para local com cobertura plástica evitando esse excesso de umidade, a possibilidade de inutilização de belas floradas é certa!


Para quem que além de orquídeas gostam de cultivar outras plantas floríferas em seus jardins, esse fungo ataca também violetas, gerânios, anênomas, dálias, crisântemos, girassóis, cravo-de-defunto dentre outras, sem contar na agricultura e muitos de seus cultivares atacando plantações de repolho, morango, cenoura, aspargos, tomates…


Existe também a espécie Botrytis paeniae e Botrytis tulipae; a primeira contamina flores da Peônia ou rosa albardeira, a segunda as tulipas.


Daí mais uma forte razão para cuidarmos do aspecto sanitário e higienisação antes de adentrarmos o orquidários ou área de plantio de orquídeas, verificarmos se manipulamos momentos antes aquele bonito repolho na cozinha e que tinha algumas folhas com algumas manchas escuras muitos comuns e que foram retiradas ao lixo antes de fazermos uma salada. Ou se ao manusearmos a bonita caixinha de morangos para uma sobremesa, retiramos fora aquele único que estava meio mole numa lateral com um mofo suave e acinzentado.


Nesses casos, o contato direto com o alimento contaminado pelo fungo Botrytis, que não apresenta efetivo risco a saúde humana, indo visitar o orquidário, alguns cuidado, com lavar as mãos com um desinfetante e conforme a situação, até trocar a roupa que esteve em provável contato com seus esporões fúngicos. Do contrário estaremos levando essa doença para atacar nossas plantas na primeira oportunidade – aquela quando proporcionamos regas em excesso mesmo em épocas secas molhando inclusive as flores de nossas orquídeas.

Uma solução pratica para evitar esse fungo e proteger suas plantas contra outros tipos de pragas e doenças é o uso do FORTNEEM COM PRÓPOLIS.
Com a adição da PRÓPOLIS o FORTNEEM já com ação inseticida, fungicida. Tem a sua ação bactericida melhorada e é otimizada.
A planta fica protegida e saudável.